Depressão

A Depressão e a Microfisioterapia

A depressão é um transtorno psiquiátrico que afeta pessoas de todas as idades. Caracteriza-se pela perda de prazer nas atividades diárias, apatia, diminuição da capacidade de raciocinar adequadamente, de se concentrar ou/e de tomar decisões, alterações do sono (insônia ou hipersonolência), aumento ou diminuição do apetite, redução do interesse sexual, retraimento social, ideias suicidas, além de prejuízos funcionais (faltas no trabalho ou piora no desempenho escolar).

O transtorno depressivo maior diferencia-se do humor “triste”, que afeta a maioria das pessoas regulamente, por se tratar de uma condição duradoura (a maior parte do dia, quase todos os dias, pelo menos 2 semanas), de maior intensidade ou mesmo por uma tristeza de qualidade diferente da tristeza habitual, acompanhada de vários sintomas específicos e que trazem prejuízo à vida da pessoa.

A pessoa que apresenta este transtorno tem episódios de mania alternados com episódios depressivos (altos e baixos).

As fases maníacas não precisam necessariamente ser seguidas por fases depressivas, nem as depressivas por maníacas. Esse tipo de transtorno atinge 0,5% da população. Esses quadros de humor tão diferentes aparecem de forma alternada ou, mais raramente, de forma mista (sintomas depressivos simultâneos aos maníacos).

Quando em depressão o indivíduo, em geral, fica quieto, distante e triste, inibição das atividades, capacidade física comprometida devido ao cansaço constante, humor melancólico, auto-estima rebaixada, sentimento de inferioridade, pessimista e desesperançoso, entre muitos outros.

Quando o indivíduo apresenta-se na fase maníaca, geralmente, é uma pessoa agradável, “exposta” e excessivamente alegre.

Juntamente observamos uma elevação exagerada da auto-estima, sentimentos de grandiosidade, a pessoa se sente dotada de poderes e capacidades especiais, não há limites ou barreiras a serem respeitados, entre muitos outros.

O transtorno bipolar tem a causa desconhecida, apesar de sabermos que tem origens genéticas. Geralmente é desencadeado por diversas condições estressantes que ocorrem na vida, como traumas, acidentes, mudanças, quebras financeiras, troca de emprego, perda de status social, separações, morte de alguma pessoa querida, enfim, por diversas condições, sejam elas físicas ou emocionais.

É neste ponto que encontramos a ligação deste transtorno com a Microfisioterapia. Esta é uma técnica que tem por objetivo eliminar os traumas sofridos em qualquer fase da vida e que ficaram marcados nos tecidos por não terem sido eliminados pelo corpo.

Como já foi dito o transtorno bipolar geralmente é desencadeado por condições estressantes de qualquer ordem. O que acontece é que uma ou mais destas condições estressantes sofridas pelo indivíduo, não foi eliminada pelo seu organismo, dessa forma, ela ficou marcada como uma memória.

Esse trauma inscrito no organismo desorganiza um tecido ou órgão provocando o desenvolvimento de doenças.

Através da Microfisioterapia, reencontraremos os acontecimentos que iniciaram o processo de desorganização do tecido ou órgão e por conseqüência desenvolvimento das doenças.

Isso através de micropalpações na pele, onde além de identificar e datar o acontecimento, através de atos manuais que simule em micro-escala a origem do trauma, iremos desencadear o mecanismo de auto correção e assim é possível restabelecer o equilíbrio do organismo, restaurando a vitalidade dos tecidos que foram afetados e por conseqüência obter uma melhora da saúde e qualidade de vida.