Indicações



A Fibromialgia é uma síndrome reumática que ocorre, predominantemente, em mulheres com idade entre 40 e 55 anos, caracterizada por dor musculoesquelética (músculos e ossos) difusa e crônica e sítios dolorosos específicos à palpação, envolve músculos, tendões e ligamentos, mas não quer dizer que acarrete deformidade física ou outros tipos de seqüela. Freqüentemente é associada à fadiga generalizada, distúrbios do sono, rigidez matinal, falta de ar, ansiedade e alterações de humor, que podem evoluir para um quadro de depressão. Sendo assim, o paciente fibromiálgico apresenta dificuldade em trabalhar normalmente, interferindo negativamente no desempenho de outras atividades diárias e, conseqüentemente, na qualidade de vida.
A depressão é um sintoma importante sendo apontada como um dos sintomas mais freqüentes em pacientes fibromiálgicos. A Fibromialgia causa um impacto negativo na qualidade de vida de pacientes em idade produtiva de trabalho. Isso porque, além da dor, os sintomas de fadiga e fraqueza subjetiva causam perda da função levando à incapacidade para o trabalho e, conseqüentemente, à queda da renda familiar refletindo na qualidade de vida dessas pessoas.
Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles doenças graves, traumas emocionais ou físicos e mudanças hormonais. Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. A fibromialgia, na pessoa predisposta, suas manifestações ocorrem ao longo da vida, na dependência de uma gama de fatores físicos e emocionais. Nesse contexto, sabemos que, já que a fibromialgia resulta de traumas, se buscarmos estes traumas, sejam eles físicos ou emocionais – recente ou congênito, ou outros tipos de traumas, descobrimos sua verdadeira origem.

Ligada ao funcionamento do Sistema Nervoso Central, faz com que seu cérebro não fabrique analgésicos naturais contra este mal, criando anticorpos à serotonina e à endorfina, neurotransmissores responsáveis pela inibição da dor e sensação do prazer. Com isso a pessoa passa a sentir qualquer estimulo doloroso com muito mais intensidade e, ao longo do tempo, a mensagem de dor fica registrada intermitente, mudando de lugar.

A dor é sempre uma defesa do corpo, um grito de socorro, que nos avisa quando algo está errado, No caso da fibromialgia, simboliza sofrimentos e por isso está relacionada a traumas e bloqueios sofridos ao longo da vida e / ou ao sentimento de dó, mágoa e compaixão, amargura, impaciência, pensamentos ruminantes, sentimentos de culpa, rigidez mental, teimosia, mania de perfeição, preocupações constantes, frustração amorosa, submissão, insatisfação, excesso de trabalho , saudade entre outros .



Urogenital é uma palavra que remete para os órgãos do aparelho urinário e genital.

Problemas no sistema urinário podem incluir doenças como insuficiência renal, infecções urinárias, cálculos renais, aumento da próstata, e os problemas do controle da bexiga.

 - Disfunções sexuais;




"A agressividade impulsiva é caracterizada pelo descontrole das emoções e gera manifestações de violência. O grau de agressividade é totalmente desproporcional aos estímulos que a desencadearam"
A agressividade é inerente ao ser humano e representa uma maneira de se proteger contra ameaças externas. Quando ela é excessiva, foge ao controle, torna-se destrutiva; causa problemas nas relações pessoais, profissionais e na qualidade de vida do indivíduo, pode então ser considerada uma doença.
Os episódios de agressividade voltam a acontecer, pois a pessoa não consegue resistir aos impulsos que a levam a adotar esse comportamento. Esse circuito ocorre do seguinte modo: há um período de tensão que precede o comportamento violento e, após o mesmo, segue-se uma sensação de alívio. Dessa maneira, o comportamento agressivo ocorre para aliviar o desconforto dessa tensão.

A microfisioterapia pode ajudar nesses impulsos.



A criança hiperativa mostra atividade maior que outras crianças da mesma idade. É comum as crianças serem ativas, sem que isto seja uma hiperatividade anormal ou patológica. A diferença é que a criança hiperativa mostra um excesso de comportamentos, em relação às outras crianças, além de dificuldade em manter a concentração, impulsividade e agitação. A criança hiperativa é um desafio para seus pais, familiares e professores.
A hiperatividade pode ocorrer em diferentes graus de intensidade, com sintomas variando entre leves a graves. A depender da gravidade destes sintomas, a hiperatividade pode comprometer o desenvolvimento e a expressão linguística, a memória e habilidades motoras. Pode afetar crianças, adolescentes e até mesmo alguns adultos, embora o mais comum seja encontrar meninos hiperativos.
Nem todas as formas de hiperatividade tem relação com déficit de atenção. Outras causas possíveis são alterações metabólicas e hormonais, intoxicação por chumbo, complicações no parto, abuso de substâncias durante a gestação, entre outras. Problemas situacionais, como crises familiares (luto, separação dos pais e outras mudanças) podem ser traumáticas para crianças e levarem a um quadro de hiperatividade reativa.
•Todas estas possíveis causas devem ser investigadas antes de iniciar o tratamento da hiperatividade, especialmente quando se desconfia de hiperatividade em bebês.
•Um especialista em comportamento infantil pode ajudar a distinguir entre a criança normalmente ativa e enérgica e a criança realmente hiperativa. As crianças até mesmo as menores podem correr, brincar e agitar-se felizes durante horas sem cochilar, dormir ou demonstrar qualquer cansaço. Para garantir que a criança realmente hiperativa seja tratada adequadamente - e evitar tratar erroneamente uma criança normal - é importante que seu filho receba um diagnóstico preciso.
É também possível encontrar Déficit de Atenção sem Hiperatividade. Há mais de um tipo de TDAH: TDAH Tipo Desatento, TDAH Tipo Hiperativo-Impulsivo e TDAH Misto / Combinado.



hsuhadihsidhaisdhiahduadad


suhaidhsiahdiashdiahdiadiuhaua


tsyagdysgytdagydfaydfyafdayfst


Ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax, transpiração, e outras alterações associadas à disfunção do sistema nervoso autônomo
Esses dois aspectos, tanto a ansiedade quanto o medo, não surgem na vida da pessoa por uma escolha. Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. Além disso, existem causas biológicas como anormalidades químicas no cérebro ou distúrbios hormonais. Ansiedade é um estado emocional que se adquire como consequência de algum ato. Todos nós temos uma consciência que nos permite distinguir o certo do errado quando realizamos algo que a nossa consciência diz ser errado, como adultério, assassinato, ou desacatar alguém que sempre nos fez o bem, sem um motivo real aparente, isso nos leva a uma consciência pesada, é como se a cabeça ficasse literalmente com um peso extra ou sentimento de culpa que impede o nosso equilíbrio. Embora para a medicina alopata a ansiedade não seja doença, para a medicina chinesa a ansiedade é uma doença da energia do corpo, pois não existe órgão lesado que produza marcadores bioquímicos como: hormônios, enzimas que indique lesão etc. mas o desequilíbrio do organismo existe. O desequilíbrio ocorrerá futuramente com o agravo do quadro ou com a evolução do agudo - crônico - degenerativo.
Todas as pessoas podem sentir ansiedade, principalmente com a vida atribulada atual. A ansiedade acaba tornando-se constante na vida de muitas pessoas. Dependendo do grau ou da frequência, pode se tornar patológica e acarretar muitos problemas posteriores, como o transtorno da ansiedade. Portanto, nem sempre é patológica.
Ter ansiedade ou sofrer desse mal faz com que a pessoa perca uma boa parte da sua auto-estima, ou seja, ela deixa de fazer certas coisas porque se julga ser incapaz de realizá-las. Dessa forma, o termo ansiedade está de certa forma ligado à palavra medo, sendo assim a pessoa passa a ter medo de errar quando da realização de diferentes tarefas, sem mesmo chegar a tentar.
A Ansiedade em níveis muito altos, ou quando apresentada com a timidez ou depressão, impede que a pessoa desenvolva seu potencial intelectual. O aprendizado é bloqueado e isso interfere não só no aprendizado da educação tradicional, mas na inteligência social. O indivíduo fica sem saber como se portar em ocasiões sociais ou no trabalho, o que pode levar a estagnação na carreira
As pessoas ansiosas têm um vasto número de sintomas. Muitos resultam de um aumento da estimulação do sistema nervoso vegetativo ou autónomo, que controla o reflexo ataque-fuga. Outros são somatizações, ou seja, os doentes convertem a ansiedade em problemas fisicos, incluindo dores de cabeça, distúrbios intestinais e tensão muscular.

Cerca da metade das pessoas com ansiedade sofrem principalmente de sintomas físicos, normalmente localizados nos intestinos e no peito. Conforme a sintomatologia, a ansiedade pode ser classificada em vários transtornos, mas sempre quando há um grau patológico, definido como aquele que causa interferência nas atividades normais do indivíduo.

Fadiga
Insônia
Falta de ar ou sensação de sufoco
Picadas nas mãos e nos pés
Confusão
Instabilidade ou sensação de desmaio
Dores no peito e palpitações
Afrontamentos, arrepios, suores, frio, mãos úmidas
Boca seca
Contrações ou tremores incontroláveis
Tensão muscular, dores
Necessidade urgente de defecar ou urinar
Dificuldade em engolir
Sensação de ter um "nó" na garganta
Dificuldades para relaxar
Dificuldades para dormir
Leve tontura ou vertigem
Vômitos incontroláveis
Sensação de impotência



yagsyagudgiasdhaisdaishdiuahsa


taataytguahgsuhauidhsudhayus


tfataftaftafatfatfataftafta


Noites bem dormidas são muito importantes para manter uma boa qualidade de vida. A qualidade do nosso sono interfere no metabolismo do nosso organismo e em diversas áreas da nossa vida. É quando estamos dormindo que acontecem os processos de regulação dos batimentos cardíacos, hormonais, memória, bom-humor, entre outros. O sono é necessário para a nossa sobrevivência e a boa saúde.
Os distúrbios do sono (sonopatias) estão relacionados a fatores biológicos e/ou psicológicos, esses ocasionados por determinantes do ambiente em que vivem. As vítimas de distúrbios podem vir a ter problemas no trabalho, na vida social e nos relacionamentos, podendo levar à depressão.
Entre as sonopatias mais comuns destacam-se: a insônia, a apnéia (suspensão da respiração), o sonambulismo, o bruxismo, o roncor, terror noturno, entre outros.
A Microfisioterapia, técnica francesa ainda pouco conhecida no Brasil, mas que vem ganhando espaço rapidamente, principalmente nos grandes centros, age diretamente sobre a causa primária dos sintomas (traumas emocionais, físicos, ambientais, tóxicos, etc.)a técnica trabalha na reabilitação do sistema como um todo, agindo de dentro para fora, utilizando-se apenas de microtoques ou palpações sutis no tratamento



A enxaqueca é uma condição clínica configurada por vários graus de dores internas na cabeça. Por vezes uma dor no pescoço ou na zona cervical é também interpretada como enxaqueca. A enxaqueca resulta da pressão exercida por vasos sanguíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente.
As cefaleias podem ser primárias ou secundárias. As primárias são o foco principal como a enxaqueca, a cefaleia do tipo tensional, a cefaleia em salvas;. Estas tem características próprias e a recorrência da dor é a principal manifestação da doença. As cefaleias secundárias são dores de cabeça como sintoma de outras doenças como infecções (sinusites, meningites), traumas, tumores cerebrais, aneurismas, alterações metabólicas e hormonais.
A enxaqueca é uma doença multifatorial, várias são as causas conhecidas pela medicina. A soma de fatores genéticos, ambientais (cigarro, poluição, variação climática, odores de perfumes e produtos químicos), hormonais, comportamentais (alto grau de exigência, oscilação do humor, irritabilidade, ansiedade, depressão), sono (dormir muito, dormir pouco) compõem os aspectos mais importantes. Existem mitos como a enxaqueca ser causada por problemas do fígado, que não são cientificamente comprovados.
Vários são os tratamentos para prevenir e tratar as enxaquecas. Dentre ele os principais é eliminar os fatores que desencadeiam o processo de dor como o estresse, uso abusivo de álcool, passar longos períodos sem alimentação, reeducar a postura, corrigir possíveis alterações na articulação têmporo-mandibular e ter um bom controle hormonal.






O que é a síndrome do pânico

Um tipo de ansiedade caracterizando-se por crises súbitas, sem fatores desencadeantes aparentes.
Ocorre que o sistema de "alerta" normal do organismo - o conjunto de mecanismos físicos e mentais que permite a uma pessoa reagir a uma ameaça - tende a ser desencadeado desnecessariamente.
O cérebro produz substâncias chamadas neurotransmissores que são responsáveis pela comunicação que ocorre entre os neurônios (células do sistema nervoso).Um desequilíbrio na produção da serotonina e da noradrenalina pode levar algumas partes do cérebro a transmitir informações e comandos incorretos. Isto é o que ocorre em uma crise de pânico, mas o que leva a este desequilíbrio de neurotransmissores? Verificamos que são situações de insegurança, traumas, perdas de entes queridos, choques como roubos e assaltos, estafa, nervosismo, stress, fraqueza emocional, entre muitas outras.
Depois de ter uma crise de pânico, a pessoa pode desenvolver medos irracionais (chamados fobias) de algumas situações como dirigir, andar de elevador, namorar, ir ao cinema, etc e começar a evitá-las.
Gradativamente o nível de ansiedade e o medo de uma nova crise podem atingir proporções tais, que a pessoa pode se tornar incapaz de  pôr o pé fora de casa. Desta forma, o distúrbio do pânico pode ter um impacto tão grande na vida de uma pessoa como outras doenças mais graves - a menos que ela receba tratamento eficaz e seja compreendida pelos demais.
Quem sofre de Síndrome do Pânico?
Geralmente são pessoas extremamente produtivas, que costumam assumir uma carga excessiva de responsabilidades e afazeres, são bastante exigentes consigo mesmo, não convivem bem com erros ou imprevistos, têm tendência a se preocuparem excessivamente com problemas cotidianos, alto nível de criatividade, perfecionismo, excessiva necessidade de estar no controle e de aprovação, auto-expectativas extremamente altas, pensamento rígido, competente e confiável.
Sintomas
Os sintomas físicos de uma crise de pânico aparecem subitamente, sem nenhuma causa aparente (apesar de existir, mas fica difícil de perceber) e são como uma preparação do corpo para alguma "coisa terrível".
Os principais são:-

• Tontura, atordoamento, náusea.
• Palpitações
• Dificuldade de respirar
• Calafrios ou ondas de calor, sudorese.
• Distorções de percepção da realidade
• Sensação de que algo horrível está prestes a acontecer
• Confusão, pensamento rápido.
• Medo de perder o controle.
• Medo de morrer
• Vertigens ou sensação de debilidade

Através da  Microfisioterapia ( técnica francesa de reprogramação celular) as causas do pânico serão detectadas,e “apagadas “ e , após a renovação celular , seu organismo passa a receber mensagens diferentes das novas células pois as mesmas não possuem mais as informações das causas do pânico e , desta forma, seu organismo reage diferente em busca da cura.
A Terapia Floral trabalha, através do equilíbrio das emoções, o fim dos problemas que causaram o pânico. Através de uma serie de entrevistas continuas com acompanhamento constante e individualizado, a administração de florais de acordo com as causas descobertas, prepara-se o paciente para que ele possa enfrentar seus limites e as adversidades vitais de uma maneira menos estressante.



 

A depressão é um transtorno psiquiátrico que afeta pessoas de todas as idades. Caracteriza-se pela perda de prazer nas atividades diárias, apatia, diminuição da capacidade de raciocinar adequadamente, de se concentrar ou/e de tomar decisões, alterações do sono (insônia ou hipersonolência), aumento ou diminuição do apetite, redução do interesse sexual, retraimento social, ideias suicidas, além de prejuízos funcionais (faltas no trabalho ou piora no desempenho escolar).

O transtorno depressivo maior diferencia-se do humor "triste", que afeta a maioria das pessoas regulamente, por se tratar de uma condição duradoura (a maior parte do dia, quase todos os dias, pelo menos 2 semanas), de maior intensidade ou mesmo por uma tristeza de qualidade diferente da tristeza habitual, acompanhada de vários sintomas específicos e que trazem prejuízo à vida da pessoa.

A pessoa que apresenta este transtorno tem episódios de mania alternados com episódios depressivos (altos e baixos). As fases maníacas não precisam necessariamente ser seguidas por fases depressivas, nem as depressivas por maníacas. Esse tipo de transtorno atinge 0,5% da população. Esses quadros de humor tão diferentes aparecem de forma alternada ou, mais raramente, de forma mista (sintomas depressivos simultâneos aos maníacos). Quando em depressão o indivíduo, em geral, fica quieto, distante e triste, inibição das atividades, capacidade física comprometida devido ao cansaço constante, humor melancólico, auto-estima rebaixada, sentimento de inferioridade, pessimista e desesperançoso, entre muitos outros. Quando o indivíduo apresenta-se na fase maníaca, geralmente, é uma pessoa agradável, “exposta” e excessivamente alegre. Juntamente observamos uma elevação exagerada da auto-estima, sentimentos de grandiosidade, a pessoa se sente dotada de poderes e capacidades especiais, não há limites ou barreiras a serem respeitados, entre muitos outros.
O transtorno bipolar tem a causa desconhecida, apesar de sabermos que tem origens genéticas. Geralmente é desencadeado por diversas condições estressantes que ocorrem na vida, como traumas, acidentes, mudanças, quebras financeiras, troca de emprego, perda de status social, separações, morte de alguma pessoa querida, enfim, por diversas condições, sejam elas físicas ou emocionais.
É neste ponto que encontramos a ligação deste transtorno com a Microfisioterapia. Esta é uma técnica que tem por objetivo eliminar os traumas sofridos em qualquer fase da vida e que ficaram marcados nos tecidos por não terem sido eliminados pelo corpo.
Como já foi dito o transtorno bipolar geralmente é desencadeado por condições estressantes de qualquer ordem. O que acontece é que uma ou mais destas condições estressantes sofridas pelo indivíduo, não foi eliminada pelo seu organismo, dessa forma, ela ficou marcada como uma memória. Esse trauma inscrito no organismo desorganiza um tecido ou órgão provocando o desenvolvimento de doenças.
Através da Microfisioterapia, reencontraremos os acontecimentos que iniciaram o processo de desorganização do tecido ou órgão e por conseqüência desenvolvimento das doenças. Isso através de micropalpações na pele, onde além de identificar e datar o acontecimento, através de atos manuais que simule em micro-escala a origem do trauma, iremos desencadear o mecanismo de auto correção e assim é possível restabelecer o equilíbrio do organismo, restaurando a vitalidade dos tecidos que foram afetados e por conseqüência obter uma melhora da saúde e qualidade de vida.



Rinites, sinusites, alergias de pele.

A Alergia é uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo, ou seja, uma hipersensibilidade imunológica a um estímulo externo específico.

O alérgico pode apresentar um ou vários sintomas, tais com espirros, nariz obstruído, coriza, tosse repetitiva, coceira nos olhos, nariz, garganta.

Na medicina tradicional o tratamento é apenas sintomático. A Microfisioterapia busca a causa e apresenta-a novamente para o corpo ter uma segunda chance de eliminá-la.



Texto para prevenção de doenças


Dr. Viviane
Indicações
Outros Serviços